Dólar supera recorde intradia acima de R$4,34 após varejo decepcionante

Por Reuters

Apesar do apetite por risco no exterior, o dólar ampliava a alta contra o real na manhã desta quarta-feira, chegando a renovar sua máxima recorde intradia após dados decepcionantes do varejo brasileiro divulgados nesta quarta-feira.

As vendas no varejo recuaram 0,1% em dezembro na comparação com o mês anterior e subiram 2,6% sobre um ano antes, de acordo com dados do IBGE, em resultado abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters.

“Investidores receberam há pouco decepcionantes dados de vendas no varejo de dezembro”, disse em nota a corretora Commcor, citando “reações isoladamente negativas ao real, que segue sofrendo com baixos juros e desanimadores dados de atividade”.

Às 10:05, o dólar avançava 0,16%, a 4,3335 reais na venda, tocando 4,3433 reais no pico intradia, nova máxima recorde, contrariando a tendência de apetite por risco que se observava nos mercados internacionais.

Peso mexicano, rand sul-africano e dólar australiano, considerados divisas arriscadas, ganhavam em relação à moeda dos Estados Unidos, que rondava a estabilidade ante uma cesta de rivais.

A Correparti Corretora, em nota, disse que a redução no número de novos casos de coronavírus aliviava as preocupações sobre o impacto econômico da doença na segunda maior potência mundial, o que impulsionava as apostas arriscadas em moedas emergentes e ligadas a commodities.

A China registrou nesta quarta-feira o menor número de novos casos de coronavírus desde janeiro, apoiando uma previsão do principal assessor médico do país de que o surto terminará até abril.

O Banco Central ofertará nesta quarta-feira até 13 mil contratos de swap tradicional com vencimento em agosto, outubro e dezembro de 2020, entre 11h30 e 11h40, para rolagem de contratos já existentes.

Compartilhar: