Dólar cai ante real de olho em votação da Previdência na Câmara e aguardando Fed

A partir de Reuters e Traders Club

O dólar caía ante o real na abertura do pregão desta quarta-feira, na expectativa de que a reforma da Previdência seja votada no plenário da Câmara e aguardando fala do chair do Federal Reserve, Jerome Powell, e divulgação da ata da última reunião do banco central norte-americano.

Às 9:06, o dólar recuava 0,46%, a 3,7904 reais na venda

Na segunda-feira, a moeda encerrou com queda de 0,31%, a 3,8081 reais na venda.

Neste pregão, o dólar futuro tinha queda de cerca de 0,35%.

Conjuntura Nacional

Após mais um ciclo de negociações de última hora, a Câmara dos Deputados encerrou, perto das 01h00 desta madrugada, as discussões em torno da Reforma da Previdência e deve reabrir, por volta das 11h00, os trabalhos para a votação da proposta – a peça legislativa mais importante dos últimos 16 anos no país. Os testes feitos pela base parlamentar favorável à proposta mostram que existe apoio para aprovação no primeiro turno com uma margem de 325 a 335 votos – bem acima do mínimo dos 308 requeridos para emendas constitucionais.

Assim, a pergunta não é se a reforma passa, e sim quando será aprovada em segundo turno. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, vê possível aprová-la em segundo turno até sábado. No entanto, esse cronograma otimista dependerá de como o governo do presidente Jair Bolsonaro resolverá os problemas que inviabilizaram a votação ontem. Mais pedidos de emendas e a desconfiança latente entre Bolsonaro e o Parlamento podem emperrar esses planos. Um ponto de grande interesse é qual o pacote de medidas pós-Previdência que a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, deve divulgar. Comunicação efetiva vai ser importante para alavancar o ânimo dos empresários e dos consumidores para retomar a atividade econômica.

Conjuntura Internacional

O dia no exterior começa tenso, com temores de que tanto o Federal Reserve, como seu presidente Jerome Powell, assumirão uma postura menos dócil quanto ao rumo dos juros na maior economia do mundo. Gestores e analistas esperam que Powell deixe em aberto a possibilidade de uma redução na taxa-alvo de juros dos Estados Unidos quando ele comparecer à rodada de sabatinas semestrais no Congresso americano, hoje e amanhã, mas não sem enfatizar que tudo dependerá do que os dados econômicos tragam.

Como o desempenho das bolsas globais, em especial as americanas, mostrou desde sexta-feira passada, o relatório de empregos privados não-agrícolas dos EUA reduziu a urgência de um corte na taxa Fed Funds no final do mês.

Agenda

08h00 IGP-M primeiro decêndio (julho) – FGV
09h00 INPC mensal (junho) – IBGE
09h00 IPCA mensal (junho) – IBGE
09h00 IPCA anual (junho) – IBGE
12h30 Fluxo cambial semanal – Banco Central

Compartilhar: