Dólar tem leve variações após pesquisa Datafolha e de olho em Previdência

Por Exame | Reuters

O dólar tinha leves variações ante o real no início do pregão desta segunda-feira, 8, com investidores de olho nas articulações políticas ligadas à reforma da Previdência, após pesquisa Datafolha divulgada no domingo mostrar má avaliação do governo Bolsonaro nos primeiros 100 dias de mandato.

Às 10h42, o dólar à vista oscilava em torno da estabilidade, a 3,8730 reais na venda.

Na sexta-feira, a moeda norte-americana fechou com avanço de 0,40 por cento, a 3,8730 reais na venda. Na semana passada, acumulou queda de 1,1 por cento.

O dólar futuro tinha variação negativa de 0,1 por cento.

Conjuntura Nacional

“Falta notícias, também não houve nada de excepcional no mercado externo e aqui no interno estamos esperando a reforma (da Previdência)”, avaliou o diretor de câmbio do Banco Paulista, Tarcísio Rodrigues.

Nesta segunda-feira, investidores voltam o foco para negociações ligadas à reforma previdenciária, monitorando encontros de autoridades do governo com parlamentares e lideranças partidárias, o que deve se prolongar ao longo da semana.

Nesta segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro se reúne com o ministro da Economia, Paulo Guedes, às 15h. Ambos seguem depois juntos para uma cerimônia.

Em seguida, Guedes participa de evento organizado pelos jornais O Globo e Valor Econômico sobre os 100 primeiros dias de governo ao lado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

No que diz respeito aos 100 primeiros dias de governo, um terço dos brasileiros avaliam que Jair Bolsonaro é ruim ou péssimo, mostrou uma pesquisa DataFolha divulgada no domingo, na pior avaliação para o período de um presidente em primeiro mandato desde a redemocratização do país.

Para agentes financeiros, a avaliação de governo não traz implicações para o câmbio, uma vez que a reforma da Previdência está avançando a despeito dos entreveros políticos.

“Não houve nada que pudesse comprometer, ou algo parecido. Claro que se continuar nesse ritmo das coisas ficarem muito atravessadas, o Bolsonaro falar demais, não é bom”, avaliou Rodrigues.

Ele ponderou, no entanto, a existência de um ceticismo mais persistente com relação ao governo, o que fica visível na ausência de capital estrangeiro no mercado brasileiro.

Conjuntura Internacional

No exterior, a agenda do dia deve ser tranquila antes de uma semana mais movimentada, com investidores aguardando notícias ligadas às negociações comerciais entre Estados Unidos e China, que devem ser retomadas na próxima semana, e também tendo o Brexit no radar.

Na quarta-feira, o Banco Central Europeu (BCE) se reúne, enquanto o Federal Reserve divulgará a ata de sua última reunião de política monetária.

Banco Central

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 5,350 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de maio, no total de 5,343 bilhões de dólares.

Agenda

08h00 IGP-DI mensal (abril) – FGV
08h00 IPC-S mensal (abril) – FGV
08h25 Relatório Focus – Banco Central
15h30 Balança comercial semanal – MDIC

Compartilhar: