Dólar cai por otimismo com governo Bolsonaro; exterior contém queda

Por Investing / Reuters

O dólar operava em baixa e abaixo de 3,80 reais nesta quinta-feira, ainda sob influência do otimismo do mercado com o governo Jair Bolsonaro, embora a maior aversão ao risco no mercado internacional contivesse um pouco o movimento.

Às 10:23, o dólar recuava 0,83 por cento, a 3,7780 reais na venda, depois de terminar a sessão anterior em queda de 1,71 por cento, a 3,8096 reais.

Na mínima da sessão, a moeda atingiu 3,7749 reais. Na máxima, foi a 3,8088 reais. O dólar futuro tinha baixa de cerca de 0,15 por cento.

“Estaremos susceptíveis à volatilidade externa, mas existe espaço para que os ativos locais continuem mostrando desempenho relativo mais positivo enquanto for factível acreditar nas reformas econômicas e no bom andamento do novo governo”, escreveu o estrategista da empresa de gestão de recursos e ativos TAG Investimentos Dan Kawa.

Conjuntura Nacional

Nesta quinta-feira, acontece a primeira reunião ministerial do governo de Jair Bolsonaro, e o mercado segue na expectativa por medidas de ajuste.

No Twitter (NYSE:TWTR), Bolsonaro disse nesta quinta-feira que o governo vai atrair cerca de 7 bilhões de reais em concessões de ferrovias, aeroportos e terminais portuários, fazendo referência a projetos previstos para serem leiloados no governo anterior, mas que ficaram para a atual gestão devido a atrasos.

Na véspera, em seu discurso durante transmissão de cargo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, fez veemente defesa do controle dos gastos públicos e da diminuição do tamanho do Estado brasileiro em seu primeiro discurso no cargo, elegendo a reforma da Previdência como prioridade número um, mas prometendo, em paralelo, medidas infraconstitucionais de ajuste.

Conjuntura Internacional

O mercado internacional, entretanto, exibia aversão ao risco após a Apple (NASDAQ:AAPL) emitir alerta de receita diante da expectativa de menores vendas na China, que sofre os efeitos da guerra comercial com os Estados Unidos.

A notícia reforçou o alerta entre os investidores sobre a desaceleração econômica global e levou à busca de ativos mais seguros, como o iene.

O dólar, assim, caía ante a cesta de moedas, mas subia ante as divisas emergentes, como o peso mexicano.

Intervenção Bacen

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 13,4 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de dezembro, no total de 13,398 bilhões de dólares.

Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Agenda

08h00 IPC-S capitais (dezembro) – FGV

Compartilhar: