Contato por Whats

Perguntas Frequentes

Câmbio Turismo

Como é definida a taxa de câmbio?

Taxa de câmbio é quanto da moeda local é necessária para comprar uma unidade da moeda estrangeira. O Brasil adota um sistema de câmbio flutuante, o que significa que as moedas são negociadas livremente por quem compra e quem vende. Ao Banco Central cabe divulgar, no final do dia, as taxas médias negociadas no mercado interbancário, a Ptax.

O que faz a taxa variar?

A taxa de câmbio varia conforme o número de pessoas que deseja comprar ou vender moedas. Se existem mais pessoas querendo comprar, a taxa de câmbio sobe. Quando existem mais moedas à venda do que o demandado pelo mercado, o preço cai. As oscilações ocorrem para equilibrar a oferta e a demanda.

A disposição dos agentes de vender ou comprar moeda estrangeira depende da conjuntura brasileira e internacional. Como o dólar é a moeda mais comercializada, a análise a seguir considera esta moeda. O investidor tem a possiblidade de aplicar seu dinheiro em vários países e busca o que apresente a melhor relação de risco e retorno. Crescimento econômico, baixa inflação e juros altos atraem os investimentos, enquanto estagnação econômica, inflação descontrolada, baixos juros e alterações constantes na política econômica geram insegurança sobre o retorno esperado e causam a fuga dos capitais estrangeiros para países mais estáveis.

Como o investidor estrangeiro tem uma grande variedade de opções, não basta apenas o Brasil estar estável, ele precisa apresentar condições melhores que a dos outros países. Por isso, há alta volatilidade do mercado cambial. O câmbio se ajusta conforme as mudanças e expectativas de mudanças nas variáveis brasileiras e internacionais.

Qual a cotação ideal do dólar?

O preço do dólar alto favorece exportações, a produção nacional e o turismo interno. Já o dólar baixo favorece viagens ao exterior, compra de produtos importados e a redução da inflação. Assim, não existe uma cotação específica que garanta a prosperidade do país. O que prejudica a economia são períodos de incerteza e alta volatilidade. Esses fatores impedem que pessoas e empresas façam planejamentos e investimentos de longo prazo. Por isso, o Banco Central às vezes interfere no mercado cambial, comprando ou vendendo moedas, para evitar valorizações ou desvalorizações muito intensas.

Existem duas taxas de câmbio: a de compra e a de venda. Quando devo usar cada uma delas?

Para não se confundir entre cotação de compra e de venda, a dica é pensar como se você fosse um banco ou agência de câmbio. A taxa de venda é o preço pelo qual a instituição vende a moeda estrangeira, ou seja, o que você vai pagar ao realizar uma compra. Já a taxa de compra é o preço que o estabelecimento paga quando adquire moeda, por exemplo, quando alguém vende as moedas estrangeiras que não utilizou em uma viagem internacional. A taxa de venda, em geral, é maior que a de compra.

Qual a diferença entre câmbio comercial, câmbio turismo e câmbio paralelo?

Câmbio comercial é a cotação utilizada para transferências financeiras do Brasil para o exterior (como quando parentes enviam dinheiro para alguém que está morando fora ou em intercâmbio) e atividades comerciais como importação e exportação.

Dólar turismo é a cotação para transações menores e vendas em espécie, por exemplo, cobrir os custos de uma viagem ao exterior. As taxas são mais altas, porque o dinheiro é operado em espécie, enquanto o comercial funciona apenas por ordens de pagamento no mercado interbancário. As transações com dinheiro implicam riscos e possuem custos de transporte, armazenamento, segurança e, até mesmo, o custo do papel moeda.

Dólar paralelo é a cotação no mercado paralelo, ou seja, não oficial. É negociado por entidades ou pessoas não autorizadas a realizar transações cambiais. Muito cuidado, pois negociações com dólar paralelo são ilícitas! A atuação nesse mercado e a posse sem justificativa de moeda estrangeira são sujeitas a punições penais.

Vou para um país que utiliza uma moeda “exótica”, como devo proceder?

No mercado brasileiro, as moedas mais comercializadas são o dólar americano e o euro. Mas é relativamente fácil encontrar instituições que comercializem dólar canadense, libra esterlina, franco suíço, peso chileno, peso argentino e iene. Mas dependendo do país de destino, pode ser necessário adquirir moedas diferentes, pouco procuradas no mercado. O recomendado, então, é comprar dólares americanos ou euros e, no país de destino, efetuar a troca. Em certos casos, até para moedas comercializadas no Brasil é mais vantajoso comprar dólar para efetuar a troca pela moeda desejada no exterior, porque devido a menor quantidade de transações nessas moedas, a cotação tende a ser mais alta do que a utilizada trocando reais por dólares no Brasil e depois dólares pela moeda local no país destino.

Quem pode comercializar moedas estrangeiras?

A regulação brasileira limita a comercialização por instituições autorizadas pelo Banco Central. Normalmente, só bancos, corretoras de câmbio e estabelecimentos que possuem convênios com instituições autorizadas podem comercializar.

Quais são os impostos envolvidos?

Para comprar moeda estrangeira em espécie, o custo do IOF é de 0,38% sobre o total da compra.

Para cartão de débito carregado com moeda estrangeira, o imposto é de 6,38% sobre valor total com que o cartão for carregado.

Para transações feitas com cartão de crédito, o IOF é de 6,38% sobre valor da compra feita em dólar. Caso a transação seja feita em outra moeda estrangeira, o valor será convertido para dólar e o calculo será feito sob essa conversão. Importante lembrar que no cartão de crédito vale a cotação vigente no dia do vencimento da fatura.

Qual o limite pra compra ou venda? O quanto posso levar para o exterior?

Não existe limite para compra de moeda estrangeira, mas é necessário que a origem do dinheiro trocado seja lícita e que o objetivo da transação seja declarado no contrato de câmbio, assinado no ato da compra. Para valores elevados, também podem ser exigidos documentos extras, como comprovantes de renda ou cópia da declaração do Imposto de Renda para atestar a capacidade financeira do comprador. O objetivo é evitar atividades ilícitas, como lavagem de dinheiro, uso de moeda estrangeira para pagamentos dentro do território nacional ou poupança.

 

Para levar moeda em espécie, cheque de viagem ou cartão de débito com crédito em moeda estrangeira, a regra é que valores até R$ 10.000,00 (em moeda brasileira ou estrangeira) podem ser tranportados livremente em viagens internacionais. Acima desse valor, é necessário fazer a declaração junto às autoridades. O viajante deve preencher a Declaração de Porte de Valores (DPV) e apresentá-la na alfândega junto com a passagem, o passaporte e o contrato de câmbio, no último aeroporto em solo brasileiro ou no primeiro ao voltar para o Brasil. Por isso, declare a quantia exata, para não correr o risco de ter o dinheiro apreendido e ser indiciado por evasão de divisas. Vale lembrar que apesar dessa exigência, não existe limite.

Voltei de viagem, posso guardar as moedas estrangeiras que sobraram em baca?

Pode, mas precisa declarar no Imposto de Renda, na ficha “Bens e direitos”.

Como me protejo das variações?

Evite usar o cartão de crédito. Além do IOF alto, a taxa de câmbio será considerada a do dia do faturamento e não da compra, portanto, você fica vulnerável às variações. Se for viajar ou estudar fora, compre dólar aos poucos, assim a cotação que você irá pagar será a média das diferentes compras. A Câmbio Curitiba oferece um serviço de notificação via WhatsApp quando o dólar ou o euro estão em queda. Caso deseje recebê-la envie seu número por e-mail para [email protected]

Este é o funcionamento do mercado de câmbio. Esperamos que com essas informações fique mais fácil para você acompanhar o mercado e conseguir uma boa cotação na sua próxima compra ou venda. Para auxiliar ainda mais nossos clientes, além de oferecer toda a assessoria na transação, a Câmbio Curitiba disponibiliza o serviço de notificações quando está em um bom período para comprar dólar americano ou euro, via WhatsApp. O serviço é gratuito! Inscreva-se em: [email protected]

Como comprar na Câmbio Curitiba

Quais são as moedas comercializadas pela Câmbio Curitiba?
  • Dólar Americano
  • Euro
  • Dólar Australiano
  • Dólar Canadense
  • Dólar Neozelandês
  • Franco Suíço
  • Iene
  • Libra
  • Peso Argentino
  • Peso Mexicano
  • Peso Chileno
Quais são os documentos solicitados para comprar ou vender moedas estrangeiras?

Na primeira operação será realizado o cadastro do cliente. Para isso, serão necessários os dados abaixo, além da cópia do RG ou CNH. É possível fazer o preenchimento dos dados de maneira fácil e rápida pelo site:www.cambiocuritiba.com/cadastro

  • Nome completo
  • CPF
  • RG
  • Órgão expedidor
  • Data de nascimento
  • Nacionalidade
  • Naturalidade
  • Fone Fixo
  • Celular
  • Endereço com CEP
  • Endereço para entrega com CEP
  • E-mail
Como faço meu cadastro na Câmbio Curitiba?

Para se cadastrar, basta preencher seus dados no link: www.cambiocuritiba.com/cadastro

Quais são as formas de pagamento aceitas?

O pagamento pode ser feito via TED ou em dinheiro na hora da entrega da moeda. A TED deverá ser da mesma pessoa física que está realizando a operação, não podendo ser efetuada por pessoa jurídica ou terceiros.

Qual é a quantidade máxima de moeda estrangeira que eu posso comprar?

Não existe um limite máximo para a compra de moeda estrangeira. Contudo, para compras em um único CPF acima de R$10.000,00 para pagamento em dinheiro ou R$24.000,00 para pagamento via TED são solicitados documentos adicionais que comprovem a capacidade financeira do cliente.

Como funciona o serviço de entrega da Câmbio Curitiba?

Para compras acima de US$1.000,00 ou valor equivalente em reais, a Câmbio Curitiba oferece o serviço de entrega gratuita em endereços na região de Curitiba. No caso de operações menores, o custo da entrega é de R$15,00.

Para operações realizadas até 12h, o valor será entregue no mesmo dia, no período da tarde. Para operações realizadas após às 12h, a entrega será no primeiro dia útil seguinte, na parte da tarde.

Oferecemos também a possibilidade de retirada em nossa sede na Avenida Silva Jardim. As retiradas devem ser combinadas com 24 horas de antecedência para garantir a disponibilidade do valor desejado.

Quais são as formas de investir em moedas estrangeiras?

A forma mais acessível de investir em moedas é por meio de contratos futuros na BM&F Bovespa. Todas as pessoas estão habilitadas a investir em moedas a partir do valor de R$3.000,00. Os contratos de negociação de câmbio no mercado futuro (Dólar Futuro) representam uma operação de compra ou de venda de moeda norte-americana em um prazo no futuro, por um preço previamente estabelecido.

Outra opção é o Fundo Cambial em Dólar, que consiste em investimento feito na moeda norte-americana por meio de títulos emitidos por bancos e empresas e ativos relacionados à variação da moeda. O Fundo Cambial não corresponde exatamente à cotação do dólar, pois cobra uma taxa de administração de 1% a 3% ao ano, além de Imposto de Renda, que varia de 15% a 22,5% conforme o período de investimento, além da variação da taxa de juros.

O que é o cartão Pré-pago MasterCard?

O Cartão Pré-pago – Cash Passport MasterCard é uma forma segura e confiável para levar moeda estrangeira em sua viagem. Pode ser recarregado a qualquer momento e possibilita a você pagar compras, fazer saques, consultar extratos on-line e bloquear o cartão em caso de perda ou roubo. O cartão pré-pago oferecido pela TORO Investimentos utiliza a bandeira MasterCard, a qual é aceita em mais de 30 milhões de estabelecimentos e mais de 1,8 milhões de pontos de saque. Outra grande vantagem do uso do Cartão pré-pago é não ter o risco de variação cambial em suas compras, sendo acordada a taxa cambial uma única vez no momento em que adquirir o cartão.

Vou estudar no exterior, como a Câmbio Curitiba pode me ajudar?

A Câmbio Curitiba apresenta soluções para pagamento de cursos no exterior. Elas podem ser utilizadas para pagamento de universidades, escolas de idiomas, cursos técnicos ou agências de intercâmbios. Além disso, buscamos sempre a melhor forma de envio, visando os menores custos e maior agilidade para o envio do dinheiro.

Pela Câmbio Curitiba também é possível enviar recursos para gastos do dia a dia, como moradia, alimentação, etc. O envio pode ser feito tanto pelo próprio viajante, quanto pelos familiares que desejem enviar recursos.

 

Como funciona as Remessas Internacionais – Western Union?
  • Todas as transferências de dinheiro para/do Brasil são reservadas para uso não comercial (somente despesas pessoais ou finalidades turísticas) e não podem ser pagas com qualquer tipo de finalidade comercial.
  • Será aplicada uma taxa “Advisory Exchange Rate” na conversão de euros para reais em transações enviadas somente de Portugal para o Brasil. Trata-se de uma taxa de câmbio aproximada, aplicada no momento do pagamento da quantia ao destinatário no Brasil. A taxa de câmbio real será determinada no momento do pagamento, conforme determinam as leis brasileiras. A taxa “Advisory Exchange Rate” provavelmente será diferente da taxa de câmbio real aplicada à transação.
Remessas Internacionais – Western Union: quais as restrições para remessa do Brasil?
  • Os remetentes deverão apresentar documento de identificação válido.
  • Menores de 18 anos só podem enviar dinheiro caso sejam casados ou estejam acompanhados por um guardião legal (pai, mãe ou tutor) e apresentem a documentação necessária.
  • O Banco Central brasileiro não autoriza que um remetente seja, ao mesmo tempo, o destinatário.
  • É necessário que os remetentes do Banco do Brasil possuam uma conta corrente bancária no Banco do Brasil para poderem enviar dinheiro.
Remessas Internacionais – Western Union: quais as restrições para recebimento no Brasil?
  • Para o pagamento, é obrigatório o nome completo do destinatário tal como consta em seu documento de identidade.
  • Nos pagamentos em reais, é aplicada uma taxa de 0,38% sobre o valor principal.
  • O pagamento não é feito a menores de 18 anos, a menos que sejam casados ou estejam acompanhados por um dos pais ou guardião legal com a devida documentação comprobatória da guarda.
  • Os pagamentos a cidadãos brasileiros, residentes portadores de visto permanente e de trabalho e residentes no Brasil há mais de um ano, estão disponíveis somente em reais.
  • Os pagamentos de transferências em dinheiro no valor de R$10.000,00 ou mais deverão ser depositados em conta corrente ou caderneta de poupança.
  • Para pagamentos em moeda local, a taxa de câmbio será determinada no momento do pagamento pelo Banco do Brasil.
  • O pagamento em dólares americanos está disponível para turistas, estudantes e portadores de visto de trabalho durante seu primeiro ano de estada no Brasil.
  • Nos locais onde houver pagamento em dólares americanos, os destinatários deverão ligar para 0800-78-5678. Se não houver dólares disponíveis, o pagamento poderá ser feito em cheques de viagem.
  • O pagamento imediato em espécie está disponível somente até R$4.000. No caso de valores acima de R$4.000, o destinatário deverá comparecer à agência onde pretende receber o dinheiro com 48 horas de antecedência e fazer a devida notificação, para que o banco tenha conhecimento da quantia a ser disponibilizada.

Como podemos te ajudar?

É um prazer te atender. Entre em contato com a nossa equipe agora mesmo por telefone, whatsapp, e-mail ou envie uma mensagem através do formulário ao lado.

(41) 3052 -7708

(41) 99578 - 0018

[email protected]

Av. Silva Jardim 465, Sala 3, Esquina com a Rua Rockefeller. Anexo a PHI Investimentos.

Fale Conosco!

Enviar